Gestão

ISO 56002: Como funcionará essa nova forma de gestão da inovação?

MRG Tecnologia
Escrito por MRG Tecnologia

De acordo com a certificadora QMS, 50% das organizações europeias e norte-americanas estão aptas para aderir ao modelo de indústria 4.0 — no Brasil, porém, esse número é de apenas 2%. Afinal, será que as empresas brasileiras pensam na gestão da inovação?

A ISO (International Organization for Standardization), por meio de seus 164 países membros, é conhecida internacionalmente por ser referência em desenvolvimento e publicação de normalizações que geram as melhores práticas nas empresas. Recentemente, foi criada a ISO 56002. Você sabe do que ela trata?

No conteúdo a seguir, trouxemos um miniguia com o que existe de mais interessante a respeito dessa nova norma e de seus impactos para a indústria. Confira!

O que é e quais são os pilares da ISO 56002?

De maneira geral, a ISO 56002 é uma norma técnica que tem o propósito de padronizar métodos, terminologias, possíveis interações e ferramentas produtivas entre os envolvidos na gestão da inovação. Sabendo da necessidade de organizar todos os itens referentes ao tema, a ISO buscou as melhores práticas entre seus 164 membros para formular uma certificação unificada.

O intuito é desenvolver uma política que seja capaz de suportar as organizações no que diz respeito à criação de processos, acompanhando a evolução constante que presenciamos no dia a dia. Vale ressaltar que a proposta é fazer com que a cultura da inovação não fique apenas na teoria ou seja um mero discurso, mas sim algo intrínseco à rotina das empresas.

O texto da norma técnica mostra que a inovação em si tem a ver com a introdução de processos, metodologias, sistemas ou produtos que não existiam ou que tragam características diferenciadas até então. Dentro dessa ISO, são avaliados seis grandes pilares:

  1. liderança visionária — ter líderes que inspiram os colaboradores a pensarem nas realizações futuras e a abraçarem a evolução;
  2. gestão de insights — valorizar ideias de colaboradores ou consumidores que possam transformar os processos produtivos;
  3. gestão de risco — dominar as incertezas que permeiam o cotidiano das empresas, analisando as vulnerabilidades e propondo melhorias;
  4. cultura adaptativa — criar um comportamento baseado na resiliência, isto é, na maneira de se adaptar às demandas e diversas tendências de mercado;
  5. realização de valor — apresentar um espírito colaborativo, a fim de tornar comuns o diálogo e a abertura para novas ideias;
  6. abordagem de processos — evidenciar o propósito das marcas, transformando de forma massiva a maneira como os consumidores enxergam os produtos ou serviços.

Que benefícios a adoção dessa nova regra proporciona?

O desafio que muitos gestores enfrentam nas indústrias é fazer o máximo possível com o mínimo de recursos financeiros. Porém, para maximizar os resultados obtidos, é preciso remodelar muitas das ações e implantar uma melhoria contínua nos processos.

A ISO 56002 surge a partir da ideia central de que é possível tornar uma empresa referência no ambiente de inovação. Essa imagem organizacional positiva faz com que o market share das companhias aumente, ou seja, crescem as chances de ter uma fatia de mercado considerável (e, com isso, atrair mais consumidores).

É notório o maior engajamento entre todas as partes envolvidas no processo, a fim de alinhar as expectativas do público e dos colaboradores. A equipe será peça-chave para aumentar o valor da marca.

A dilatação de uma cultura voltada aos processos inovadores faz com que os produtos existentes tenham características mais interessantes e apresentem um valor agregado atrativo aos clientes. Vale ressaltar que a nova ISO gera:

  • organização;
  • gerenciamento das ideias expostas;
  • intraempreendedorismo;
  • considerável diminuição dos desperdícios;
  • facilidade de integração com outras normas.

Como a ISO 56002 estimula a criação de novos produtos?

Segundo o Manual de Oslo da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), uma inovação focada em produtos diz respeito ao surgimento de algo novo ou a apenas melhorias realizadas em um item já existente. O termo produto abrange tanto os bens quanto os serviços, sendo que a inovação se dá por decorrência do uso de novos conhecimentos ou tecnologias.

Imagine que sua empresa tenha um sistema capaz de englobar toda a estrutura funcional dos processos executados, a fim de facilitar as tomadas de decisões e gerar diversas estratégias para melhorar a produtividade. A partir disso, cria-se uma rede de informações que automatiza a rotina da indústria e proporciona insights poderosos à reformulação de sua linha de produtos.

Com a ISO 56002, muitos negócios identificarão a necessidade de seguirem seus propósitos e buscarem métodos eficazes para obter não apenas um retorno financeiro melhor, mas produtos que gerem valor aos clientes. Basicamente, a norma será um estímulo para criar ambientes de inovação e buscar parcerias nas quais a pesquisa e o desenvolvimento sejam aplicados dia após dia.

De que modo a norma funciona para quem vivencia a indústria 4.0?

É inegável que o conceito de indústria 4.0 tem ganhado corpo nos últimos anos. A inovação disruptiva pode desestabilizar concorrentes, desde que todos os processos sejam executados da melhor maneira possível.

Uma empresa que disponha das ferramentas necessárias à governança corporativa e a um plano estratégico voltado à transformação digital claramente será capaz de inovar com propriedade. Com a gestão da inovação e os insights a partir da metodologia aplicada na integração de sistemas, as organizações serão priorizadas pelos colaboradores como um todo.

Explorar os recursos intelectuais presentes na empresa, tendo como propósito o alcance dos objetivos e o aumento do clico de maturidade dos produtos no mercado, faz com que a imagem da marca mude significativamente.

A transformação digital é inerente ao processo de inovação e, à medida que esse conceito cresce no molde da indústria 4.0, percebemos que se torna indispensável o pensamento organizacional voltado ao novo. A Inteligência Artificial, a segurança de dados e a automação industrial são pilares que devem ser levados em consideração por gestores que pretendem se diferenciar no mercado.

Como investir em gestão da inovação na indústria?

As empresas que querem obter o certificado da ISO 56002 passam por uma fase de diagnóstico. Nela, é identificada uma possível cultura de inovação recorrente que precise de melhorias ou a necessidade de implantação dessa linha de raciocínio. Já nas etapas seguintes, um cronograma é estabelecido conforme cada caso e, quando os devidos ajustes forem finalizados, uma empresa avaliadora certificará de fato.

Qualquer companhia pode (e deve) buscar a gestão da inovação para a melhoria de produtos ou processos e mudanças organizacionais ou no modelo de marketing. É preciso se certificar quanto ao uso das melhores práticas na indústria, a fim de disseminar uma cultura voltada para o conhecimento e a solução simplificada de gargalos nos processos.

Para cumprir o modelo de gestão da inovação e seguir passo a passo a ISO 56002, que tal contar com a experiência de uma empresa que tem o know-how necessário? Estamos aptos para desenvolver ações que conduzam o planejamento estratégico a partir do seu modelo de negócios.

Se você quer compreender um pouco melhor como isso é possível na prática, entre em contato com a gente. Daremos todo o suporte de que precisa em termos de inovação!

Sobre o autor

MRG Tecnologia

MRG Tecnologia

Deixar comentário.

Share This